Ecovec
  pten
A empresaNossos serviçospublicaçõesSobre a dengueFale conosco

 

 

 

A prevenção é a solução

O que é a Dengue?

A Dengue é uma doença infecciosa muito séria que pode matar. É causada pelo vírus chamado DENV – parente do vírus da Febre Amarela – que é transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. A Dengue constitui um sério problema de saúde pública no Brasil e no mundo e é nosso papel armar a comunidade de informações para combater novas epidemias.

Hábitos do mosquito

O mosquito Aedes aegypti parece um pernilongo comum, preto, com pintas brancas espalhadas pelas patas e bem pequeno - do tamanho da unha do dedo mindinho. Ele costuma picar as pessoas no início da manhã ou no final da tarde, mas isso tem mudado – em alguns casos o mosquito pode picar em qualquer horário.

Somente as fêmeas do mosquito picam pessoas uma vez que elas precisam do ferro e de algumas proteínas do sangue para gerar e maturar seus ovos. Os machos só se alimentam de néctar e seiva de plantas.

Uma fêmea grávida coloca, em média, 70 ovos por postura, podendo chegar a 10 posturas por ano. A conta é alarmante: são, potencialmente, 700 novos mosquitos para cada fêmea que alguém permitiu que se multiplicasse em depósitos de água parada acumulada nos quintais e dentro das casas. E para piorar, um Aedes aegypti infectado com o vírus da Dengue pode transmitir a doença para, em média, mais de 10 pessoas ao longo da vida.

Sintomas da Dengue

Os sintomas da Dengue se parecem muito com os sintomas de uma gripe muito forte. Febre alta, fortes dores no corpo e no fundo dos olhos são sintomas clássicos, além das manchas vermelhas pelo corpo – que os médicos costumam chamar de petéquias. A pessoa fica sem vontade de fazer nada e até levantar da cama é um suplício.

Se você apresenta algum desses sintomas ou conhece alguém que está assim, não faça uso de medicamentos por conta própria! Tome bastante líquido para evitar uma desidratação e vá imediatamente para um hospital ou posto de saúde mais próximo, para receber o tratamento médico adequado. Boa parte das complicações da Dengue – inclusive as mortes – ocorre porque as pessoas se medicam e, uma vez que esses tratamentos não funcionam, esses pacientes chegam tarde demais aos hospitais.

Se você já pegou Dengue alguma vez, tenha cuidado redobrado. É verdade que novas infecções estão associadas à uma maior chance de Dengue do tipo hemorrágica, principalmente quando há circulação de vírus diferentes. Ocorre um extravasamento de plasma associado a uma resposta imune exagerada devido a um histórico anterior de presença de um antígeno “parecido”. Trocando em miúdos, “as veias e artérias ficam como uma mangueira com vários pequenos furos”. Assim, o sangue não corre como deveria e o quadro de hemorragia interna fica evidente. Uma pessoa em cada 20 acaba morrendo nesses casos.

Como combater

Para evitar novas epidemias, precisamos tomar alguns cuidados:

- Remova a água parada acumulada. É na água que os mosquitos completam o seu desenvolvimento, desde ovos, larvas, até se tornarem adultos. Utilize telas impregnadas com inseticidas e areia (muita areia!) em reservatórios de água de vasos de plantas, bromélias e pneus.

- Não utilize engodos como borras-de-café, tocos de cigarro, sal, açúcar, casca de laranja, própolis, levedo de cerveja e outros ingredientes em calhas, pneus vazios, latas e vasos de plantas - nada disso funciona na prática. A própria chuva irá lavar essas substâncias, fazendo com que a água fique limpa e parada de novo. Melhor retirar toda água parada!

- Não utilize armadilhas caseiras. Armadilhas têm boas intenções, mas estão longe de resolver o problema. Isso porque você confia que o dispositivo irá te proteger, e esquece de tomar os devidos cuidados como olhar a água parada na sua casa e na casa do seu vizinho semanalmente. Eventualmente, a armadilha vira depósito de novos mosquitos.

- Tampe muito bem a sua caixa d’água, pois uma fresta aberta por 30 dias é o suficiente para facilitar uma infestação de mosquitos pelo bairro todo por 1 ano. Caixas d’água costumam ser mais da metade dos focos encontrados nas casas das pessoas.

- Planeje uma rotina de prevenção. Não se engane! O mosquito que o seu vizinho se esquece de combater pode procriar e ameaçará transmitir Dengue para você, seus filhos e sua família. Converse com os seus vizinhos, afinal, o problema é de todos. Se você não tiver com tempo de olhar semanalmente seu quintal, reveze com o seu vizinho – cada um verifica possíveis focos em seu quintal e no do vizinho a cada 15 dias – e peça para que outros vizinhos façam o mesmo.

- Nunca tome remédios contendo ácido acetilsalicílico (AAS, Aspirina, Melhoral), nem anti-inflamatórios (ibulprofina, Voltaren, diclofenaco de sódio, Scaflan), pois esses remédios interferem no processo de coagulação do sangue e podem acelerar processos hemorrágicos. Dipirona e Paracetamol podem ser utilizados, segundo as orientações do Ministério da Saúde (http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/ pdf/Dengue_manejo_clinico_2006.pdf).



A única coisa que o governo espera de você sobre a Dengue é que você impeça que o mosquito se multiplique na sua casa. As prefeituras já têm muito trabalho com bueiros, esgotos subterrâneos, terrenos baldios, edificações públicas, escolas, hospitais, ferros-velhos, lagoas, imóveis abandonados, zonas rurais, cemitérios, parques, praças e demais áreas públicas. Ajude, receba o agente de saúde na sua casa e faça a sua parte!

Caso deseje saber algo mais sobre a Dengue, entre em contato com os nossos especialistas.

dengue

 

Fim da página